Arrebentando o cu da esposa na rola

3 min

Categoria:

Tag: , , ,

visualizações

3 min

Categoria:

Tag: , , ,

Arrebentando o cu da esposa na rola

Arrebentando o cu da esposa na rola

E dentre os cuidados desprendido a minha pessoa descobri que eles estavam casados a vinte anos, que essa mudança tinha sido bem estudada, confirmou o que eu já havia notado optaram por essa “aposentadoria” precoce já que eles tinham dinheiro suficiente para as próximas gerações, estas que não existiam pois faziam mais o tipo de casal livre de tradições,Carlos como eu havia julgado tinha 53 anos e ela 45,ela não tinha ainda um opinião formada sobre a cidade visto que eu era a primeira pessoa que ela estava conversando mas que estava ansiosa e esperançosa com esse começo de vida pacata.

Simone me disse ter gostado do meu jeito e principalmente gostou porque eu não me interessei pelo tipo fisico dela. Eu já enfiei alguns objetos, mas pau mesmo, não. Me pus de joelhos na cama e comecei a chupar a ambos disseram que queriam gozar na minha cara, realizei seus desejos. Pelo visto, a esposa dele já tinha aceitado a ideia e foi logo tirando a blusa e tirando a minha roupa, sentou-se ao meu lado e começou a me punhetar. sempre gostei de mulher na época já pegava umas meninas e dava uns trato nelas, ocorre que um de meus amigos era BI, o Léo, e vivia me secando e pedindo para ficar comigo, um dia dormi na sua casa e acabamos transando e dei para ele, foi muito top, neste dia descobri que adorava ser enrabado.

Dormimos na mesma cama, ela nua a minha frente, quase não dormi direito, na manhã, meu pai bateu aa porta e dissemos que já íamos, ela subiu no meu pau de frente pra mim, não resisti e apertava muito seus seios, e esfregava seu clítoris de novo com o dedo … enfiei ainda outro com meu pau, qdo ela gozou, eu estando muito próximo de meu gozo também tirei rapidamente dela, por medo de gozar lá dentro, sem camisinha, e ela o encaixou entre seus seios deslizou algumas vezes pra cima e pra baixo o suficiente para em segundos me fazer gozar novamente.

Almoçamos e fomos até um parque que tem na cidade, um local calmo e ficamos conversando no carro, eu falando sobre meus problemas e ele dos dele. Eu comecei a rebolar empurrando a minha bunda contra o pau dele, sem fazer vai-e-vem, prá me acostumar com tudo aquilo dentro de mim…– Seu pau tá me arrebentando, meu cu tá todo arregaçado…– Que cu delicioso de puta você tem… pisca ele pra mim vai… aperta esse rabo pra eu sentir ele ordenhando meu pau….